Escolha uma Página

Ser o chefe do próprio restaurante é o sonho de muito empreendedor no país. E um chefe participativo sabe — como ninguém — o que a sua marca precisa para se desenvolver, e como aplicar um padrão diferenciado.

Como em qualquer pequena empresa do país, a margem de lucro de um restaurante é baixa. Daí a importância em estar à frente do seu negócio: saber como valorizar cada centavo do seu investimento e direcioná-lo de maneira inteligente. Exatamente o que veremos ao longo deste artigo! Confira, e descubra são as principais razões pelas quais você deveria concentrar para si as decisões do seu restaurante!

A margem de lucro é maior

Empreendedores sabem bem que o ponto comercial é a só a ponta do iceberg de tantos custos mensais. Especialmente, quando estamos falando também de encargos trabalhistas.

Ao assumir o cargo de chefe do restaurante, você terá um grande custo trabalhista a menos nessa área, aumentando sua margem de lucro e podendo aplicar a grana em outros investimentos.

Problemas são percebidos com rapidez

Quando um chefe é mais ausente do que presente na rotina do restaurante, problemas com atendimento, logística e relacionamento interno podem passar despercebidas, até que os problemas estejam se acumulando. Por isso, quando você assume as rédeas do próprio negócio, essas situações potencialmente danosas à sua empresa são identificadas com rapidez, e a sua reação pode ser rápida também.

Um exemplo: o encarregado do dia a dia do restaurante está desmotivado. Isso, por si só, já ofusca a sua atenção aos problemas logísticos e operacionais que podem estar gerando mais custos do que o necessário. Ou seja: investimento jogado ao vento, e que o empreendedor só vai se dar conta quando a conta estiver tão alta que começa a chamar muita atenção.

Oportunidades de desenvolvimento são aproveitadas

Você viu nos dois tópicos anteriores, no controle do seu negócio, seu retorno financeiro será maior. E o que o restaurante ganha com isso?

Maior retorno significa maior investimento. Mais grana para você planejar e por em prática as melhorias que você e seus clientes precisam. Pode ser algo pontual, como decoração, ou mesmo estrutural para acomodar mais consumidores.

Também convém estar sempre por perto das decisões para ver em primeira mão boas oportunidades de melhorar o fluxo de trabalho e otimizar para desempenho e retorno ainda maior.

O atendimento ao cliente fica do seu jeito

Um dos principais preocupados — e responsáveis — por um bom atendimento ao cliente é o dono do restaurante. O público-alvo pode ter sido definido pela franqueadora, mas no fim das contas, quem sempre vai estar mais perto e vai ver o público entrando pela porta, é o dono — se além de ser o dono, ele também for o chefe.

Como resultado, ninguém melhor do que ele para estabelecer diretrizes para um excelente relacionamento que encante os clientes. E não apenas isso: o chefe deve atuar em padronização, treinamento e na capacitação dos seus funcionários.

A inspiração se torna o chefe do restaurante

Bons chefes são, acima de tudo, líderes. E quando você assume esse papel, é necessário se tornar a inspiração de todos os colaboradores.

O chefe tem que ser a referência do restaurante: esteja presente com a equipe, lidere pelo exemplo, oriente, inspire. Assim, os seus colaboradores vão ter um parâmetro de como precisam agir e onde devem tentar chegar.

Um ambiente harmonioso, produtivo e colaborativo é mantido por um líder que compreende bem o seu papel no restaurante. Seja essa figura, e consolide mais benefícios para gerir o seu empreendimento com maestria.

O poder de barganha é maior

Por fim, convém apontar que, ao concentrar o poder para si, no restaurante, você consegue exercer maior poder de barganha com fornecedores também.

Ninguém melhor do que você conhece os limites de investimentos e tem total flexibilidade para negociar as melhores condições. Sua presença em negociações exerce grande pressão sobre os preços que vendedores de insumos e prestadores de serviços têm condição de lhe cobrar. Você pode aqui mais uma vez controlar melhor sua margem de lucro, e ainda fiscalizar de perto a qualidade do que os fornecedores lhe entregam.

Além disso, quando estamos falando em uma relação que se estende à franqueadora, é mais do que relevante que o chefe do restaurante esteja à frente das negociações. Isso gera mais tranquilidade ao parceiro de negócios, e contribui para uma relação mais produtiva e livre de atritos.

Até por conta disso, para que você possa complementar o conhecimento que vimos neste artigo sobre ser o chefe do próprio restaurante, conheça também as nossas dicas para você promover um relacionamento de qualidade com a franqueadora!

%d blogueiros gostam disto: