Aprenda o essencial para estimar o retorno financeiro da sua futura franquia.

Neste artigo você vai ver:

  • Os diferentes tipos de gastos para abrir uma franquia.
  • Taxa de franquia, ponto comercial, giro, royalties.
  • Como calcular PRI?

Todo investimento feito requer um retorno financeiro. É preciso levar em conta diversas variáveis para analisar se os recursos empregados terão o rendimento esperado. Sem isso, corre-se o risco de perder dinheiro. E isso ninguém quer, não é mesmo?

Ainda que o setor de franquias tenha registrado um crescimento de 7% neste primeiro trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período de 2018, é importante avaliar os pormenores de qualquer franquia para entender todos os seus detalhes, seu funcionamento, os investimentos a serem realizados e, então, mensurar seu retorno financeiro.

A seguir vamos mostrar quais dados devem ser levados em conta na hora de medir se este investimento terá o resultado esperado.

Botando os gastos no papel

Antes de qualquer coisa é necessário botar todos os gastos no papel e analisar o quanto o empreendedor tem disponível para iniciar a operação da franquia.

Muitos acabam avaliando apenas o valor da taxa de franquia e se esquecem que existem outros gastos associados com a abertura de uma empresa.

Desta forma, é importante fazer uma análise prévia e colocar na ponta do lápis alguns dados:

  • Quanto você tem disponível agora para investir?
  • Será necessário buscar empréstimo ou algum tipo de aporte financeiro?
  • Por quanto tempo você conseguirá arcar com todos os gastos de uma franquia sem obter o retorno do investimento?

Além de levar em conta o quanto você tem disponível no momento, é importante pensar nos gastos básicos para abertura de uma franchising como taxa de franquia, aquisição de ponto comercial, taxa de royalties, custos com aluguel, energia, equipamentos e etc.

Quanto mais detalhada for esta análise, mais fácil ficará para medir o retorno financeiro que este empreendimento trará para você.

Taxa de franquia

Está é uma taxa obrigatória que deve ser paga ao franqueador para que o franqueado possa obter o direito de utilizar a marca e todo o seu know-how.

Ao pagar este valor o franqueado fica autorizado a implantar uma nova unidade desta franquia, utilizando nome, marca, produtos e recebendo junto todo o conhecimento adquirido durante anos de operação, estudo e sucesso do franqueador.

Dessa forma, ao invés de começar um negócio do zero, arcando com todos os seus custos e incertezas, o empresário pode começar um empreendimento que já tem solidez, investindo apenas nesta taxa única.

Aquisição de ponto comercial

Dependendo do tipo de franquia, poderão existir algumas exigências com relação a aquisição do ponto comercial.

Existem aquelas que exigem estar em shoppings ou praças de grande movimentação. Outras requerem lugares ou condições específicas para a sua operação.

Portanto, este é um ponto importante a ser analisado. Será necessário locar ou comprar o local onde a franquia será implantada?

Quais os custos extras? Será necessário arcar com reformas ou decoração do novo espaço? Todos estes gastos devem ser previamente estabelecidos para que o empreendedor não seja pego de surpresa.

Royalties

Nos gastos básicos mensais pode ser incluída a taxa de royalties, comumente cobrada pela maioria das franqueadoras. Costuma ser uma porcentagem do faturamento obtido por aquela unidade.

Capital de giro

Todo empreendimento precisa de capital de giro para se manter funcionando. Desta forma, o empresário deve levar em conta todos os gastos mensais e fixos para manter a operação de sua franquia.

Folha de pagamento de funcionários, fornecedores, energia, água, aluguel de sala e equipamentos, investimentos em publicidade, etc. Todos os gastos básicos para a manutenção do negócio devem ser especificados e deve-se garantir uma parte dos seus recursos para que todos esses investimentos sejam realizados a fim de não prejudicar o andamento do negócio.

Calculando o PRI (Prazo para retorno de Investimento)

Outro cálculo interessante de ser feito é o PRI, que mede o prazo para o retorno do investimento realizado.

Para saber o PRI de sua franquia, o empreendedor deve levantar os seguintes dados:

  • Saber o valor total de seu investimento inicial, que inclui capital de giro, taxa de franquia, aluguel, compra de equipamentos e etc.
  • Saber qual o lucro mensal do seu negócio.

Assim, com estas variáveis chegamos a seguinte equação:

PRI = Investimento inicial divido pelo valor do lucro mensal.

Portanto, se o investimento inicial é de R$ 100.000,00 e o lucro é de R$ 5.000,00, significa que o retorno sobre o investimento acontecerá no prazo de 20 meses.

Assim, notamos que esta franquia terá uma boa lucratividade e um retorno rápido, visto que a maioria das franquias pode demorar de 24 a 36 meses para trazer o retorno sobre o investimento.

Depois de botar tudo no papel, mãos à obra

Agora que você já sabe quais os gastos terá, os investimentos necessários e todo o retorno financeiro que sua franquia trará, é hora de botar as mãos na massa e começar sua trajetória de sucesso!

Nunca esqueça que o sucesso do seu negócio depende de você, de como gerencia os recursos e as pessoas disponíveis.

%d blogueiros gostam disto: